Prazo Prorrogado – IRPF 2021
12 de abril de 2021
Simples Nacional: Critérios para adesão
14 de abril de 2021
Exibir tudo

Para que serve o SPED fiscal?

Os avanços tecnológicos permitiram que certas atividades, consideradas como burocráticas, passassem pela digitalização e melhorassem a transparência das obrigações empresariais. Um profissional que sempre fica atento às notícias e às principais novidades relacionadas ao âmbito da contabilidade precisa conhecer o que é o SPED fiscal e a importância dele dentro da empresa de que faz parte.

O que é o SPED fiscal?

Antes de apresentar o que é o SPED fiscal, o contador precisará entender o que significa o Sistema Público de Escrituração Digital. Trata-se de uma programação de aceleração de crescimento criada pelo Governo Federal com o intuito de comprovar as entregas das obrigações de uma corporação. Elas são enviadas por meio de arquivos nos formatos TXT ou XLM e descrevem todas as entradas e saídas dos diferentes tipos de pagamentos e contas relacionadas à empresa.

Existem outros SPEDs dentro dos deveres obrigatórios da companhia. Entre eles, estão o contábil (ECD), as contribuições (EFD) e também os relacionados às notas fiscais eletrônicas. O fiscal está ligado ao Fisco e aos trabalhadores que prestam contas a ele.

O propósito é reduzir perdas, melhorar o tempo que o processo leva, dar consistência às informações prestadas e trazer um melhor controle na fiscalização desse serviço.

Para que serve o SPED fiscal?

Ao aprender o que é SPED fiscal, o contador entenderá que esse sistema está relacionado ao IPI e ao ICMS que faz parte das obrigações tributárias da sua empresa. Logo, é necessário informar toda a movimentação sofrida pela sua companhia em um determinado período.

Ou seja, são dados sobre o seu estoque, a compra de insumos, o inventário, a apuração detalhada das operações no setor de produção, os registros relacionados à sua clientela e os demais gastos que sempre estão presentes nas rotinas de trabalho. Entre as vantagens, estão a redução do uso de papel, a legitimidade no fornecimento de informações, a organização correta das tarefas dentro do setor contábil e o engajamento que a evolução dessa atividade trouxe.

Fonte: Jornal Contábil

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *