Cinco dicas para sair do vermelho

eSOCIAL Novo Cronograma de Obrigatoriedade e Implantação
31 de julio de 2018
Saiba o que é perícia contábil
31 de julio de 2018
Mostrar todo

Cinco dicas para sair do vermelho

Lembre-se que a sua reeducação financeira deve acontecer o mais rápido possível

Atualmente, estar em dia com as contas é uma tarefa difícil. Conforme o Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil) e a Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL), cerca de 60 milhões de brasileiros possuem dívidas ou restrição no CPF, que impede a realização de empréstimos ou compras parceladas. Apesar do número elevado, é possível contornar a situação e ter maior tranquilidade quando o assunto for finanças pessoais.

No caso de empresas, a assessoria na busca de soluções eficazes para a gestão do patrimônio empresarial, por meio de prestação de consultoria contábil, trabalhista e tributária, são importantes para o bom andamento da instituição. A Conmax, empresa que atua no mercado há 32 anos, oferece com qualidade estes serviços para empresas de capital nacional e estrangeiro. No entanto, em âmbito pessoal, o autocontrole já pode ser a base para tudo. Visto isso, reunimos cinco dicas essenciais para você, que busca “sair do vermelho”:

* Faça uma lista das suas dívidas e tente eliminá-las. Elas são suas piores inimigas.
Manter todos os gastos na ponta do lápis é o primeiro passo a ser dado. Analisar minuciosamente todas os ganhos financeiros e custos — desde o seu jantar até uma compra parcelada em dez vezes — é importante para fixar o aprendizado de que todo consumo deve ser feito de maneira consciente. Priorizar a quitação de dívidas como cheque especial, financiamentos e cartões de crédito é necessário para evitar que os custos virem uma “bola de neve”.

* Estabeleça uma meta de poupança mensal, seja um valor fixo ou valor relativo a sua renda.
Ao invés de definir que será guardado o que sobrar no final do mês, é importante que o valor guardado no fundo seja visto como a primeira despesa. Ao contrário, é comum que o dinheiro seja despendido para outras necessidade, ao longo dos dias. Cada caso deve ser examinado com cuidado, mas o ideal é que, pelo menos, 10% do rendimento mensal seja economizado. Poupar significa estar preparado no caso de imprevistos ou problemas maiores, como acidentes ou doenças. Na dúvida, sempre é melhor prevenir.

* Dedique tempo para fazer pesquisas de preço
Para além de poupar o próprio dinheiro, comparar na hora de adquirir algum bem ou serviço é essencial para evitar valores exorbitantes. Apesar de ser um fator importante para economizar, não se esqueça: a qualidade do que é adquirido sempre deve ser a prioridade.

* Organize os seus investimentos e defina metas, isso ajudará a analisá-los melhor.
Um planejamento anual ajuda você a visualizar com clareza o futuro. Detalhes como IPTU e IPVA, assim como recebimento do 13º salário e restituição do Imposto de Renda, costumam alterar as suas finanças e por vezes caem no esquecimento (até a hora que chegam). Se você investe parte da sua renda líquida, é necessário estipular prazos e acompanhar minuciosamente cada movimentação.

* Invista no seu conhecimento sobre finanças, isso irá proteger você contra você mesmo.
Compreender o que acontece no mundo é necessário para não ficarmos ultrapassados. Criar hábitos de leitura sobre finanças — seja por jornais, livros ou outras plataformas — orienta você a conhecer boas práticas e gera novas ideias para a administração do seu dinheiro.
Lembre-se que a sua reeducação financeira deve acontecer o mais rápido possível. Afinal, tempo sempre foi e continuará sendo dinheiro. Não existem motivos para desperdiçar nenhum dos dois.

Deja un comentario

Tu dirección de correo electrónico no será publicada. Los campos obligatorios están marcados con *